Oculus Rift e Realidade Virtual – Hipsters #07

E esse revival de realidade virtual, vai pegar? Nosso host Paulo Silveira finalmente usou um desses desajeitados capacetes e, depois de passar mal com o simulador de astronauta, decidiu conversar com André Breves sobre o assunto. O que há de diferente de décadas atrás? O cinema 3D não é lá um grande game changer, será que a realidade virtual vaiser massificado e estará em nossas casas? Ou ficará apenas com os hipsters? O que está por trás dos 3 players: Oculus Rift, Vive e PlayStation VR?

E sim, fizemos comentários jocosos a respeito do Pokemon Go!

Participantes:

Links que apareceram:

Produção e conteúdo:

  • Alura Cursos online de Tecnologia
  • Caelum Ensino e Inovação

Edição e sonorização: Radiofobia Podcast e Multimídia

Leave a Reply

28 Comentários

  1. maikenunes

    Assunto muito interessante, parabéns pelo conteúdo de qualidade.

    • Paulo Silveira

      Valeu Maike! Muita coisa acotnecendo nesse campo. Vamos ver pra onde vai!

  2. cleysonwebdev

    Lembrando que muitos nichos vão se aproveitar dessas tecnologias, como a industria porno e a medicina!

  3. Cássio Almeida

    Excelente poscast, mais uma vez!

    Não foi mencionado no cast, mas tem nos links o CardBoard do Google. Tenho um e é uma excelente forma de começa a brincar com VR sem gastar muito. =]

    • Paulo Silveira

      Cássio, vacilamos e nem citamos o cardboard…. foi alguns dos que ficou pra fora. Por isso deixei nos links

    • mauriciolinhares

      Pior que falamos disso antes mas não comentamos no podcast, minha primeira experiência com VR foi com o pouso na lua num cardboard.

  4. Júlia Yamamoto

    Muito bom. Comecei a trabalhar com VR a pouco tempo e gostei muito de tudo o que disseram aqui! sempre legal saber todos os dramas e tramas xD! Ótimo programa, muito bem feito e divertido de ouvir! 😀 (pedi por esse conteúdo no segundo podcast do Hipsters, super feliz por esse tema ter aparecido!).

    Apesar do que disseram sobre o Leap Motion e o quão bom seria não ter que segurar nada para se sentir mais imerso, ainda acho que uma luva não seria nem um pouco intrusivo e aumentaria muito o que poderíamos desenvolver de bacana!

    De recomendação de coisas que você PRECISA experimentar com Realidade virtual é o Tilt Brush (que inclusive usamos recentemente para fazer o level design de um jogo para VR). https://www.youtube.com/watch?v=TckqNdrdbgk

    Além disso, existem aí várias iniciativas para usar a realidade virtual para cura de fobias e também para publicidade. Está começando, engatinhando, mas acho que quando menos esperarmos, vai explodir! 😀

    • Paulo Silveira

      Que bacana Júlia! E onde exatamente você está trabalhando?

      • Júlia Yamamoto

        Eh uma empresa voltava a eventos, então usamos muito a realidade virtual para mostrar produtos 🙂

  5. Matheus Montenegro

    André Breves, por favor, me convida pra tua casa tbm, cara!?
    Muito bom o papo de vcs, dá pra se pensar em muita coisa para quando ficar mais “palpável” financeiramente, entrar com tudo!
    Ah, coloca um “_target” nesses links 😀
    Abraços!

    • André Breves

      Vou abrir um VR Arcade e lucrar com as visitas 😀

  6. Michel Cordeiro

    Já vem melhorando a cada episódio Paulo, sei que é algo natural e não programado, mas nesse ep. em especial, acho que o humor casou perfeito com a relevância do conteúdo. Lembro que a gente conversou um pouco no ProductCamp na vivaReal sobre o podcast e tudo mais, e acho que esse é dos grandes acertos do nerdcast. Sei que não se pode chamar isso de fórmula de sucesso, mas acho que causa uma empatia muito forte com o público. Enfim, só mais uma opinião de várias para você considerar ou não.

    Ta ficando cada vez melhor!!
    Abraço!!

    • Paulo Silveira

      valeu Michel! Acho que estamos nos soltando e está ficando um pouco menos forçado. Vamos ver como fica mais pra frente.

      • Vinicius Vinci

        foi o primeiro hipstertech que ouvi, mas já dei umas boas risadas. acho que escracho nunca é demais, pois conteúdo passado estritamente sério, particularmente, me entendia. parabéns a todos! (e continuem fazendo piadas!)

  7. trumae

    Muito bom podcast! Em um trecho voces comentaram sobre detectar movimentos sem o uso de GPS. Em principio, o GPS nem eh o sensor ideal devido ao erros do sensor. Com acelerometros e giroscopios eh possivel um boa precisao na estimativa de pequenos movimentos lineares. Falando um pouco de matematica, se temos a atitude da “cabeca” lida pelos giroscopios, podemos realizar a integracao da leitura dos acelerometros obtendo a variacao de velocidade. E integrando a velocidade podemos ter os deslocamentos lineares. Eh um pouco mais chato/dificil de fazer do que falar :). Integrar sucessivas vezes as leituras de sensores pode aumentar o erro pq estamos integrado um sinal que ja tem um erro.

    Continuem com o bom trabalho!

    • André Breves

      Exatamente! Os acelerômetros têm uma taxa de atualização relativamente alta (1kHz), mas o erro acumulado aumenta gradativamente. Numa taxa de atualização menor (60Hz) entram os sensores posicionais absolutos (Constellation/Lighthouse) para corrigir o “drift”.

  8. Victor

    Legal a discussão. Acho que o óculos cairia muito bem no simulador de ciclismo Zwift (http://zwift.com/).
    Abraço e parabéns pelo trabalho.

  9. Evandro Teixeira

    Salve Hipsters, meus parabéns pelo trabalho de qualidade e pela excelente discussão sobre a tecnologia, já estou aguardando ansioso pelo próximo assunto que será abordado aqui, estão fazendo um trabalho excelente.

    Falando sobre VR, acredito que vale ressaltar o livro ‘Jogador N°1’ do Autor Ernest Cline, que fala exatamente sobre a realidade virtual em um futuro não muito distante e como isso muda toda a interação entre as pessoas, é um livro maravilhoso pois apresenta uma visão muito interessante sobre o uso da tecnologia. Apesar de gostar da visão do Autor do livro, ainda acredito que a VR seria bem melhor aplicada se consegui-se chegar ao patamar da VR apresentada em animes como SAO ( Sword Art Online ), onde o nível de imersão é completo utilizando somente o óculos de VR, sem qualquer necessidade do uso de hardwares adicionais.

    Acredito muito na tecnologia e espero que ela tenha um futuro promissor pois tenho como objetivo trabalhar com o desenvolvimento de aplicações para ela no futuro, assim como a Realidade Aumentada, que se der certo, tende a transformar totalmente o mundo que vivemos e a interação com o mundo virtual.

    O vídeo postado pelo @lowpis:disqus da uma ideia da Realidade Aumentada no dia a dia, mas pra quem é fá de animes, o anime Accel World trás uma visão bem mais interessante 🙂

    Vlw e até o próximo episodio.

    • mauriciolinhares

      Esse livro é foda! Li num fim de semana, hahaha, mas é meio assustador também como VR altera o mundo.

  10. Vinicius Vinci

    O problema da ‘falta de mãos’ (e depois do corpo todo) está no escopo da Myo. São pulseiras que ‘sentem’ os movimentos dos tendões, e reproduzem os movimentos de suas mãos para a experiência VR.

    https://www.myo.com/

    Vejam o link da empresa também, que tem outras aplicações além de VR. E comprem a pulseira, pois investi toda minha herança nas ações dela e da HTC Vive, haha! (brincadeira).

    Ah, parabéns aos organizadores e participantes pelo podcast. Excelente, até para quem lê notícias de VR todo dia.

  11. Fred Oliveira

    Sou viciado neste podcast, me identifico muito, pois sempre estou testando coisas novas.

  12. Anthony

    Faltou a comparação de tecnologias com o Hololens
    Todos os problemas que foram debatidos no podcast, a microsoft já conseguiu na versão developer apresentar outras alternativas. Como não está na versão final, ainda tem muito o que atualizar e implementar, mas no futuro próximo, provavelmente a Hololens poderá ser usada no Xbox Scorpio
    Mas em termos de interatividade a Hololens supera Oculus Rift, Playstation VR, etc.

Next ArticleSquads não-suicidas - Hipsters #08