Desenvolvimento Android – Hipsters #39

E quem nunca quis desenvolver para Android? No meio de tantas versões, conversamos sobre os avanços da plataforma, dificuldades encontradas pelos pequenos padawans e o que está em uso e na moda em mais um ecossistema destrinchado pelos hipsters! Ah, e tem treta com webapps.

Participantes:

Links bacanas:

Produção e conteúdo:

  • Alura Cursos online de Tecnologia
  • Caelum Ensino e Inovação

Edição e sonorização: Radiofobia Podcast e Multimídia

Leave a Reply

33 Comentários

  1. Inaldo Brandão

    Muito foda, material android é sempre bom, parabéns Alura. Sugiro os próximos com algo relacionado a sincronização, uso de webservice, abraço ! #RetrofitÉVida

  2. Cleiton

    Muitas vezes vc aprende muito mais em um podcast do que uma semana batendo a cabeça fazendo vários cursos.
    Parabéns a toda galera hipsters.tech,
    Aguardando o próximo podcast sobre Android !

  3. Dudu Indo

    “Nativo vs Js” WebAssembly mandou um abraço!

  4. Vagner Araújo

    app do banco original é hibrido !

    • Silvio Pereira

      React Native não é hibrido. Ele compila pra nativo. Hibrido é quando ele gera o instalador e uma webview e dali pra dentro é tudo web usando Cordova para os acessos de hardware.

      • Vagner Araújo

        Quando faço 1 código que roda em múltiplas plataformas ele é hibrido. Hibrido não remete apenas a web.

        • Silvio Pereira

          Quando o mesmo código roda em várias plataformas ele é híbrido mesmo, o que não é o caso do react native. No native, o que vai rodar em cada plataforma é um código nativo gerado à partir do mesmo fonte. Nas plataformas híbridas como Ionic e PhoneGap, a maior parte do código da aplicação em html e JavaScript é executado nessas linguagens, dentro de uma webview. Esse é o motivo de serem chamadas plataformas híbridas. Acredito que existe um entendimento nesse sentido pela comunidade, ou pelo menos foi este sentido que foi usado no podcast.

          • Thiago do Nascimento da Silva

            Que eu saiba o código JavaScript que você escreve em React-native não é compilado pra código nativo, ele roda js mesmo, conforme você vai mexendo na virtual dom do react ele vai transformando em componente nativo em tempo de execução tanto é que você pode apenas trocar o JS interno do APK sem instala-lo novamente para atualizar. Sendo assim toda a logica continua sendo um único código rodando em 2 plataformas diferentes.

    • Felipe Torres

      Acho React Native e Xamarin beeem legais! Hoje em dia, estou um pouquinho mais pro lado do Native pois acho animal o que o pessoal da Microsoft tá fazendo no Code Push: com esse plugin em vez de criar uma nova atualização da app e esperar os usuários baixarem, é possível deployar o código “direto” pro usuário! o.O

      O facebook gosta bastaaaante disso. hahaha

      • Vagner Araújo

        preciso estudar um pouco mais sobre esse assunto, pessoal anda comentando bastante !

  5. ²He

    Li algumas coisas a um tempo atrás sobre desenvolvimento pra android em Python.

    Alguem já tentou? Tem exemplo de algum app “grande” desenvolvido assim?

    • Paulo Silveira

      parece que pesoal usa o tal do kivy e do qpython, mas nao acho que tenha ganhado muita adesao!

  6. Jader Teixeira

    Deu um problema na thumbnail no aplicativo de podcast que eu uso, apareceu a thumbnail do episódio 44

    • Paulo Silveira

      opa!! corrigido. E agora Jader…. voce é um homem que sabe demais 😛

  7. Rômulo Innocêncio

    Eu não sei o que tem o android, eu até gosto, acho massa, bem pensado…. mas no meu MotoG2 trava pra kraio…. será que é muita Gambiarra no if? hahaha Parabéns ai pelo podecast, acompanho desde sempre. =)

    • Lucas Souza

      Tenta colocar uma ROM personalizada cara, tipo a Lineage OS. Na época que ainda tinha a Cyanogenmod Mod, eu instalei uma em um Moto E G1 que eu tinha e ficou muito melhor, em vista do que era antes.

    • Paulo Silveira

      é rock n roll!! deve dar um trabalho….

    • Welton Vaz de Souza

      E melhor usar o Android Studio, a dor de cabeça é menor!

  8. João Lucas dos Santos

    Depois de alguns anos de Java, estou começando agora com Android.

    Muito bom o episodio. Alguns brinquedinhos pra estudar. 🙂

    Att,

  9. O Neto criticou bastante os híbridos do cordova e elogiou o Xamarim, e quanto ao React-Native:
    RN ou Xamarin, qual melhor opção?

  10. O Neto criticou bastante os híbridos do cordova e elogiou o Xamarim, mas não falou do React-Native.
    Eu gostaria de saber a opinião de vocês sobre o mesmo (não só da galera do podcast, mas de qualquer um que quiser discorrer sobre o assunto).
    Eu particularmente gosto muito da performance do react-native, dos recursos que ele já apresenta (mesmo ainda sendo um “bebê”), da sua forma reativa de funcionar e principalmente por ele fornecer os componentes visuais nativos de cada SO sem precisar de escrever códigos separados.
    Tendo em vista essa última vantagem, eu creio que seria o caminho ideal, não só para o mundo mobile, mas para apps em geral seguirem.
    Seria ótimo um mundo que você pudesse desenvolver uma interface e cada sistema interpretasse-a nativamente, de acordo com os recursos presentes no SO.
    Se isso funcionou na web, por que não em outras áreas!?

    opinem…

    Grande Abraço!

    • Felipe Torres

      Eu concordo com você quando diz que é o caminho ideal. No entanto, discordo que “seria ótimo escrever uma interface única e cada sistema interpretar nativamente”, pois para isso todos os sistemas teriam que ter os mesmos componentes gráficos e isso nem sempre acontece. O iOS tem elementos gráficos que o Android não possui e vice-versa.

      Então, eu acho que um código único para backend é uma baita “mão-na-roda”, porém deixar esse mesmo código único para o front implicaria trabalharmos com os mesmos componentes gráficos em plataformas diferentes. Isso levaria a duas situações: ou teríamos aplicativos com usabilidades iguais em plataformas diferentes (que não é algo legal), ou teríamos que trabalhar com layouts diferentes para plataformas diferentes (mas isso já é o que fazemos hoje).

      • Muito bom comentário, pontuando algo bem importante: Existem componentes gráficos e recursos diferentes dependendo da plataforma.
        Concordo totalmente com você, como também temos diferença entre recursos e componentes gráficos em browsers que vem sendo diminuída cada vez mais.
        Mas temos que concordar que quando temos que utilizar um componente exclusivo de determinada plataforma, é extremamente mais prático escrevermos só aquele código a parte em vez reescrever todo o aplicativo em outra linguagem. Isso requer um custom de manutenção muito alto.

        O React-Native te dá a opção de escrever uma parte do código específica para uma plataforma, permitindo que se houver algum recurso só disponível em determinada plataforma, você consiga escrever uma parte do código que só será lido pela mesma.

        No caso de componentes diferentes e com funções parecidas, existe como criar formas inteligentes de reconhecê-los e adaptar a plataforma em que o app está sendo executado. Um simples exemplo disso é como o RN usa a janela de alerta nativa de ios e android, que são totalmente diferentes e requerem, inclusive, parâmetros diferentes. Ainda assim você só precisa escrever a chamada de alerta uma vez e funcionará para as duas plataformas. ( fonte/exemplo: https://facebook.github.io/react-native/docs/alert.html )

        Iniciativas como essa até ajudariam a padronizar mais os componentes disponíveis em diversas plataformas, deixando o mundo de desenvolvimento mais colorido 🙂

  11. Vinícius Dias

    “Eu enxergo em 8 bits.”
    Kkkkkkkkkkk

  12. jallisson jallis oliveira band

    muito bom esse podcast

  13. Eric Andrade

    Ótimo podcast.
    Com certeza um app nativo tem mais qualidade que um híbrido, mas eu discordo que não tenha pelo menos um aplicativo hibrído que não tenha qualidade, temos o Spotify como exemplo.

  14. Marques Denis

    Sou desenvolvedor C#, e cheguei a tirar uma certificação Xamarin Developer ano passado, aprendi alguns truques novos. E este ano resolvi sair da minha zona de conforto e apreender Android com o pessoal da Alura. Estou impressionado com a Android Studio, é muito fluido o desenvolvimento, esta sendo muito prazeroso programar em Java nele. Valeu a pena sair da zona de conforto!

Next ArticleStartups, Blockchain e Bitcoins - Hipsters #40